Archive for julho \31\UTC 2009

h1

julho 31, 2009

.

.

.

.

.

Equilibrava-se diariamente entre a tesão e a razão.
Olhava saias balouçantes, bocas e pernas, bundas e seios, exuberâncias e singelezas em suas mais diversas acepções.
Morenas, loiras, ruivas, negras. Bonitas, feias, gordas e magras. Meninas e coroas, alunas e prefessoras.
Se consideraria um tarado, não fosse a carga de negatividade implícita em tal palavra. Apaixonado, isso sim. Apaixonado por todas as mulheres do mundo.
Alguns, irônicos, diriam que quem ama a todas não ama a nenhuma. Nada poderia estar mais distante da verdade. Amava a todas, e amava em todas aquele mínimo quase imperceptível que faz de cada uma delas especial em meio a tantas. Detalhes ínfimos, que apenas ele enxergava. Um meneio de cabeça, uma respiração hesitante, uma palavra mal colocada, um sorriso entrecortante. Aquele único momento em que eram singularmente únicas.
Ontem morreu.
Carregava consigo todas as lembranças de cada mulher com quem cruzara.
A essência de cada uma delas dele se desprendeu, e uniram-se em uma brisa suave, que passeou por cada calçada da cidade antes de desaparecer em direção ao espaço. E, por um segundo, todas elas foram felizes, sem saber exatamente o porquê.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
moacir caetano
Anúncios
h1

julho 31, 2009

.

544554

.

h1

julho 31, 2009

.

.

.

.

.

Hoje fiquei dormindo e a ternura resolveu levantar em meu lugar. Saiu sozinha, fazendo pose, afetando, abusando, sambando, sorrindo. Pediram bis. Um moço assobiou, do canto onde era frio, e ela foi. Não tinha olhos, era toda sentimento. E parada em frente a ele, ela tateou com pureza. Sabia que não precisava matéria, pra existir. A morada dele era o sonho. Tudo pode ser, nessa hora. E foi. A casa dele, bastaria que fosse feita de coração. E era. . .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

jaya magalhães viana

h1

julho 31, 2009

.

.

.

.

.

.

.

para ver você feliz, te distraio com realidades fantásticas enquanto os furacões da vida normal passam. é só isso que posso fazer. tempo ruim é meteorológico e se você conseguir enxergar esperança, até a chuva tem sua sombra feita de arco íris.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

tiago yonamine

h1

julho 31, 2009

.

.

.

.

.

.

.

.

.

” Quando eu dei por mim, nem tentei fugir . . . “

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

h1

julho 31, 2009
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Ela contou-lhe histórias
Ele ensinou-a a voar…
Amavam-se
Mas ele não queria crescer…
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
 
.
peter pan
h1

um poema

julho 31, 2009

.

SWIM-WORLD-MEN-100M-FREESTYLE

.