Archive for agosto \28\UTC 2012

h1

.

agosto 28, 2012

.

.

.

.

.

.

fuu-fuuuuuuu. . .(tirando o pó)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

h1

agosto 14, 2012

.

.

.

 

.

.

Ama-me por frases esparsas, detalhes, confidências, fragmentos por flashes, insights, minha versão pop… Ama-me lá por 1827, quando combinei nosso encontro. Ama-me por pensamentos desconexos, contradições no quebrar de uma vírgula, no salto cego para o próximo parágrafo. Ama-me por meus silêncios raros, egoístas, por ser prolixa. Ama-me do outro lado da calçada, que atravessei sem olhar para o sinal. Sim, aconteceu ontem. Ama-me por ser real e por fingir que sou humilde, assumindo imperfeições. Ama-me quando achar que é delírio. Ama-me até quando uso o tempo e sou imperativa. Ama!

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
cristina carriconde
h1

agosto 14, 2012

h1

agosto 14, 2012

.

.

.

caco

E, quando não lembro, porque afinal, ando a perseguir o Coelho Maluco, aquele mesmo que berra “estamos atrasados” para a Alice, logo ali, na entrada do País das Maravilhas, acontece sozinho. Amanhece e lembro, a noite enlua e lembro, jogo conhaque para flambar e lembro. E não me dói e não me queima e não me entristece. Sorrio levinho e até acho uma graça. Te sendo sincera, rapaz. Acho uma graça. Pois o destino tem destas. Nós dois temos dúvidas. Mas os pedaços quebrados do espelho ainda refletem o mesmo céu.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

cristiane lisbôa

h1

.

agosto 13, 2012

.

.

.

.

.

.

♪♫ ‘as vezes, no silêncio da noite,eu fico imaginando nós dois. . .♫•♪♫••

,

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.